Nanah Livraria no Correio Popular

Nanah Livraria no Correio Popular

  • Postado por: Nanah Livraria

ENTRETENIMENTO

 
ESPECIAL Um bairro e suas ruas repletas de histórias

Publicado 07/07/2016 - 20h24 - Atualizado 08/07/2016 - 21h08

Por Marita Siqueira

Foto: Dominique Torquatto/AAN
Obras de Agostinho Gomes: região de relevância artística
Obras de Agostinho Gomes: região de relevância artística
O Guanabara pode não ser o berço da arte em Campinas, mas tem peculiaridades interessantes, entre elas a Fundação Jürgensen, o Studio Agostinho Gomes e a Nanah Livraria. A primeira, na Rua Frei Antônio de Pádua, é um centro que abriga galeria com obras do campineiro Geraldo Jürgensen (1923-1993), anfiteatro e salas onde acontecem cursos de danças, teatro, artes plásticas, artesanato e música – são cerca de 180 alunos permanentes. Um lugar onde a arte é contemplada e aprendida.
A entidade foi criada em 1995 pelo médico Adhemar Jürgensen para abrigar o acervo com aproximadamente 1,6 mil trabalhos, incluindo desenhos, aquarelas, guaches, óleo, esculturas e macrojoias, deixados pelo irmão Geraldo. A fundação também cede espaço para profissionais do segmento artístico.
Foto: Dominique Torquatto/AAN
"A cultura modifica o espaço" - Agostinho Gomes, artista plástico
Na mesma rua fica o ateliê de Agostinho Gomes, um dos mais relevantes artistas plásticos da cidade. “A cultura modifica o espaço. Estou muito feliz no Guanabara. Me mudei para cá em 2002 e não penso em outro lugar melhor para viver em Campinas. Dá para fazer tudo no bairro. Um tempo atrás tive um probleminha de saúde e fiquei sete meses sem dirigir. Foi quando senti verdadeiramente a autonomia que o bairro proporciona, muito diferente dos condomínios onde você perde a liberdade”, diz.
Foto: Dominique Torquatto/AAN
"Vi o bairro mudando, as casas antigas se transformando em clínicas, mas ainda o considero excelente" - Antônio Dias de Souza, comerciante
O bairro ainda conta com a Nanah Livraria, sebo que fica na Rua Dr. Miguel Penteado e está recheado de CDs, LPs e, principalmente, livros – são aproximadamente 12 mil títulos. O proprietário, Antônio Dias de Souza, o Nanah, manteve uma loja na Unicamp por duas décadas, mas em 2008 transferiu o negócio para o bairro onde morava. 
“Moro aqui há 16 anos. Vi o bairro mudar, as casas antigas se transformando em clínicas, mas ainda o considero excelente. É bem localizado, não tem a correria do grande Centro e, ao mesmo tempo, supre as necessidades do dia a dia”, afirma. Para ele, a região está em ascensão em relação ao mercado de artes. “Muitos estão vindo para cá em busca de alternativas ao Cambuí, ao Centro e ao distrito de Barão Geraldo”, diz Nanah.
Foto: Dominique Torquatto/AAN
Fundação Jürgensen foi criada em 1995 para abrigar o acervo de Geraldo Jürgensen: cerca de 1,6 mil trabalhos
Fundação Jürgensen foi criada em 1995 para abrigar o acervo de Geraldo Jürgensen: cerca de 1,6 mil trabalhos
 

Escrito por:

Marita Siqueira

 

 
 
 
 

Ler todas as Notícias